Growth Hacking

Do inglês, Growth, crescimento, Hacker, profissional cujo objetivo é fazer crescer o número de usuários de um produto ou serviço. Sendo assim, com um metodologia testável e escalável, o Growth Hacker alavanca as métricas de conversão.

O termo surgiu em 2010 com Sean Ellis, um empreendedor incrível que ajudou diversas startups a alcançarem crescimento recorde.

A técnica é empreendida principalmente nesse perfil de empresas, que necessitam de crescimento acelerado e baixo investimento, característica principal do Growth Hacking.

Seu foco é em resultado e a palavra mestra é MÉTRICA, pois tudo é medido minuciosamente, os leads, conversões e vendas, são foco das ações e as ferramentas que não trazem esse retorno são descartadas.

Os meios mais utilizados na técnica são aqueles com potencial de viralização : e-mails marketing, Facebook Ads, Google AdWords, Content Marketing, Mídia Programática (que falaremos mais à frente) e afins.

O principal case (e o primeiro) desse tipo de ação para crescer online foi do Hotmail, em 1996. Na época, um dos investidores deu a ideia de colocar a seguinte frase no pé de todos os e-mails disparados através do serviço: “PS: I Love You. Get you free e-mail at Hotmail”.

Em seis meses, eles já tinham mais de 1 milhão de usuários. Na Índia, eles fizeram 300 mil em três semanas. A empresa foi vendida um ano e meio depois para a Microsoft com um banco de dados de 12 milhões de usuários em um mundo em que a internet era acessada por 70 milhões. São números de crescimento impressionantes. 

Fonte: Exame

E ai, curtiram a pauta?

Aqui na Aline Alcântara RP, colocamos em prática algumas técnicas de Growth Hacking e temos bons resultados!

#alinerprocks