SnapChat & Periscope

As chamadas mídias efêmeras, que não deixam rastros pela web. O SnapChat e Periscope vieram para dar uma maior instantaneidade e acelerada no processo das mídias, e movimentar ainda mais o modo como as mídias sociais permeiam a vida das pessoas.

Como espero e desejo que vejam o vídeo, rs, não vou contar muito sobre a história das redes, só posso dizer que o Snap foi uma super iniciativa de Evan Spiegel e mais dois estudantes, e o Periscope, um projeto do Twitter.

O SnapChat, febre mundial, tem tomado espaço tanto do Instagram quanto do Facebook. Seu público, inicialmente, eram jovens de 16 a 25 anos, porém agora está aumentando essa faixa.

A mídia, que é baseada no agora, não conquista pela audiência e sim pela simpatia, pelo momento, pela atratividade do cenário, do protagonista, enfim, não há fórmula perfeita. A questão é: não é um lugar para se postar inúmeras selfies ou fazer centenas de vídeos com monólogos sequenciais. O egocentrismo não cabe, afinal o público reconhecerá que seu perfil se trata desse formato de publicação e haverá poucas visualizações de suas postagens. Portanto, deve-se ter o equilíbrio entre foto e vídeo, uma diversidade de momentos, e sempre interessante ponderar nesses aspectos.

Para Periscope, o streaming é bacana quando há relevância. Em uma ocasião que reúna pessoas legais, quando há alguma pauta interessante em questão, uma discussão que se queira fazer, enfim, a palavra, definitivamente é: relevância.

Vamos ao #alinerpvlog?!

Blusa: Analoren

Foto e Vídeo: Felipe Flores

Produção: #alinerprocks

E aí, curtiram falar dos temas? Gostam dessa vibe teórica e prática ao mesmo tempo?

Espero ouvir experiências!

#alinerprocks